Pular para o conteúdo
Voltar

Horta escolar se torna ferramenta didático-pedagógico em Guiratinga

Na escola Estadual Estevão de Mendonça, a produção de alimentos contribui com a disciplina e a formação de hábitos alimentares saudáveis
Rui Matos | Seduc-MT

Divulgação
A | A

A horta escolar é uma excelente ferramenta didático-pedagógica, além de corroborar para a disciplina, a responsabilidade e a formação de hábitos alimentares saudáveis da comunidade estudantil. Prática que vem dando excelentes resultados por meio do ‘Projeto Cultivando Saberes’, desenvolvido na Escola Estadual ‘Estevão de Mendonça’, em Guiratinga-MT.

A proposta vem alcançando os seus objetivos, que é trabalhar conceitos de educação ambiental, despertar o interesse crítico do aluno para que ele se reconheça enquanto parte do meio ambiente. “Utilizamos o espaço físico ocioso no pátio da escola para implantação do projeto que permitiu a multidisciplinaridade como fator de integração de conhecimentos mais amplos e empíricos”, disse o diretor Marcelo Cavalcante Rocha.

O diretor observa que a escola utiliza o espaço e os alimentos cultivados para ministrar aulas multidisciplinares a respeito de conteúdos relacionados à horta em ciências, geografia, matemática e nas demais matérias pertinentes. A estratégia é estimular a adoção de bons hábitos alimentares, mostrando que se pode produzir para consumo na alimentação escolar, além de destinar o excedente à própria comunidade estudantil. “Tudo é pensado e executado em equipe, valorizando e fortalecendo o ambiente de trabalho”.

Um dos ganhos obtidos com a horta, além do pedagógico, foi estabelecer a consciência em relação aos alimentos orgânicos. Não apenas pela questão da saúde, mas, pelo viés da importância econômica. “Guiratinga é um município que tem na agricultura familiar uma base forte e os estudantes serão multiplicadores desses conceitos assimilados aqui na escola”, completou Marcelo.

O diretor relata que o projeto seguiu todas as etapas durante o ano letivo, com a escolha do ambiente, plantio nos canteiros, limpeza e rega de forma sustentável. O sistema utiliza a aquaponia, que mistura criação de peixes com o cultivo de hortaliças. A água que ficaria na terra em uma horta convencional, retorna para ser reutilizada por um sistema produtivo, passando por filtragem antes de ser canalizada para o tanque de peixes e depois seguir irrigando a plantação.

O desfecho de cada período de produção é a colheita das hortaliças e o manuseio dos peixes para que se tornem filés na merenda escolar. “Esse cardápio especial é parte da demonstração final que fazemos dessa experiência aprazível no nosso ensino aprendizagem”, finalizou Márcio Rocha.