Pular para o conteúdo
Voltar

Seduc lança edital inédito que contempla práticas pedagógicas para educação inclusiva

Política pública visa o desenvolvimento de oficinas como Brinquedoteca Lúdica e valorização cultural do Siriri
Natália Leão | Seduc-MT

Serão destinados R$ 10 mil para cada unidade escolar na aplicação de práticas pedagógicas - Foto por: Wesley Rodrigues
Serão destinados R$ 10 mil para cada unidade escolar na aplicação de práticas pedagógicas
A | A

A Secretaria de Estado de Educação, por meio da Superintendência de Políticas de Diversidades Educacionais, lançou edital inédito destinado aos projetos pedagógicos de cinco Escolas Especializadas de Cuiabá e Várzea Grande. Serão destinados R$ 10 mil para cada unidade escolar cujo objetivo é elaborar atividades que valorizem o aprendizado cognitivo e afetivo dos estudantes.

Para concretizar o recebimento do recurso, as unidades Luz do Saber e CHP Professora Célia Rodrigues Duque, situadas em Várzea Grande; Raio de Sol, Livre Aprender e C.E.A.A.D.A. Prof. Arlete P Migueletti, localizadas em Cuiabá, deverão apresentar as propostas pedagógicas em consonância com as Diretrizes de Referência Curricular da Educação Especial para o Estado de Mato Grosso.

Também é necessário que as atividades contemplem categorias específicas envolvendo artes visuais, artes cênicas, produção editorial, festival de música e dança, ou exposições artísticas. As oficinas e os projetos deverão ser produzidos ainda no segundo semestre de 2021.

Assim como em outras modalidades das Políticas de Diversidade, os investimentos na Educação Especializada fazem parte do planejamento estratégico da Seduc na mudança do ensino de Mato Grosso.

“O trabalho que a Superintendência de Diversidade realiza com o lançamento desse edital é pegar as boas práticas que ocorrem no Estado e proporcionar que sejam realizadas pelos nossos alunos. Cada diretor poderá olhar para expertise presente na escola e desenvolver o lado social e afetivo dos estudantes, inclusive para o mercado de trabalho”, ressalta o secretário de Estado de Educação, Alan Porto.

Diretor da Escola CHP, Adimilson Assunção relata que o lançamento do edital demonstra mais uma ação da transformação que ocorre em todo Mato Grosso. “A atenção para os alunos da educação especial é recebida por nós com muita alergia. A educação está melhor e esse edital exemplifica que está melhor para todos”.

Com a perspectiva de trazer a cultura do Siriri no projeto “Nós também siririzamos”, o gestor explica como as ações culminam na valorização do Estado como um todo.  “O ‘Nós também siririzamos’ é planejado como um resgate e fortalecimento da cultura popular, será um espaço para nossos alunos de socialização e aprendizado sobre as riquezas da nossa terra”.

Para a diretora da Luz do Saber, Jane Inhoti, poder trabalhar o lado psicomotor de forma lúdica é o cuidado especializado desejado por muitos dos que vivem o dia a dia da pessoa com deficiência.

“Nossos alunos estão na faixa etária de seis meses a 14 anos. A escola para essas crianças, muitas vezes, é uma das principais formas de aprendizado. Ações com foco na ludicidade são a forma de enriquecer o lado psicomotor dos nossos estudantes com afeto. Ficamos felizes de mudar a realidade das nossas crianças”, destaca.

O ineditismo do edital reforça os investimentos do Governo do Estado na mudança do ensino da rede pública. De acordo com a Superintendente de Diversidades Especiais, Lúcia Santos, o objetivo de implementar as oficinas é oportunizar que as práticas pedagógicas também sejam trabalhadas na Educação Especializada.

“A Seduc tem priorizado a inclusão de práticas que incentivam o lado artístico e afetivo dos alunos. Quem trabalha com educação especial sabe e acredita que é possível transformar a vida das pessoas. Fico emocionada com o lançamento desse edital por saber a diferença que fazemos na vida desses alunos e seus familiares. Nosso trabalho possibilita que eles tenham a chance de ter mais portas abertas lá fora”, relata Lúcia Santos.

Centro de Referência

Secretário Alan Porto, durante evento de lançamento, realizado na escola CHP Professora Célia Rodrigues Duque, destacou a ampliação dos investimentos do Governo do Estado para educação da pessoa com deficiência.

Atualmente, o Centro de Apoio e Suporte à Inclusão da Educação Especial (Casies) realiza o atendimento de mais de 9 mil alunos. 

O planejamento de tornar o atendimento mais humano resultará no Centro de Referência de Educação Especializada Nilo Póvoas, espaço de inclusão e formação que ampliará acolhimento aos estudantes com deficiência da rede estadual.

“Finalizamos o projeto da escola Nilo Póvoas, onde vai funcionar o Centro de Referência da Educação Especial, que tem como madrinha nossa primeira-dama Virginia Mendes. Nos moldes do ‘Ser Inclusivo’, será um espaço totalmente dedicado ao atendimento de especialidades. A idealização desse projeto é um sonho que queremos sonhar junto com a população, com os nossos estudantes”, finaliza o secretário.





Editorias