Pular para o conteúdo
Voltar

Cartilha orienta escolas para contratação e uso de internet

Material descreve requisitos necessários para que o serviço seja eficaz
Carolina Holland | Seduc-MT

Cartilha elaborada pela Seduc orienta gestores e técnicos para contratação e uso de internet nas escolas estaduais - Foto por: David Borges/Seduc-MT
Cartilha elaborada pela Seduc orienta gestores e técnicos para contratação e uso de internet nas escolas estaduais
A | A

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT) elaborou uma cartilha para gestores e técnicos com orientações para contratação e uso de internet nas escolas estaduais. O objetivo é que os profissionais possam usar todos os recursos disponíveis, em especial aqueles dos ambientes virtuais de aprendizagem.

Pesquisa feita no último bimestre de 2020 mostra que a maioria das escolas (47%) contrata serviços de internet via Conselho Deliberativo Comunidade Escolar (CDCE) com repasse da Seduc-MT pelo Projeto Político Pedagógico (PPP). Outros 27% usam o programa Educação Conectada, com recursos do Governo Federal (PDE Interativo); 13% o programa Banda Larga nas Escolas; 9% utilizam outras formas de contratação de serviços; e 4% o Programa Governo Eletrônico a Serviço do Cidadão (GESAC).

Além de explicar como funcionam esses programas, a cartilha estabelece sete parâmetros que devem ser usados pelos gestores ao decidir pelo serviço, entre eles: pensar nas necessidades de consumo e infraestrutura para distribuição/roteador; escolher o tipo de conexão necessária para atender a demanda; pedir avaliação técnica sobre o sinal Wi-Fi; e avaliar os planos oferecidos pelos fornecedores locais e reputação das empresas, para que a escola não fique sem o serviço.

Os gestores também são orientados sobre os requisitos mínimos necessários em relação aos serviços de internet e equipamentos que devem ser adotados para distribuir o sinal, para que haja cobertura em todos os ambientes da escola. Por exemplo, escolas com até oito salas de aulas devem ter dois roteadores; as que têm entre oito e 12 salas, quatro roteadores; e as unidades com mais de 12 salas, seis roteadores.

AVA Classroom

A cartilha traz orientações metodológicas sobre o uso do AVA (Ambiente Virtual de Aprendizagem) Classroom e outros aplicativos a serem adotados pela rede estadual de educação, com explicações sobre as ferramentas de gerenciamento de conteúdo, de comunicação, informacionais e ferramentas administrativas, e os processos necessários para produção de material didático digital: elaboração de conteúdos, de atividades e a apresentação de ambos no AVA.

Outros pontos abordados são a etiqueta necessária para o ambiente virtual de aprendizagem, sendo importante refletir sobre quais comportamentos são aceitáveis.

Algumas das diretrizes são não permitir o envio de mensagens ofensivas entre professores e alunos, distribuição ou uso de conteúdos com incentivo à pornografia, discriminação e racismo, e evitar mensagens desnecessárias para não sobrecarregar o ambiente.





Editorias